Categorias
Espiritualidade

Os talismãs do axé

Instrumentos de comunicação com o plano divino, os talismãs associados aos orixás atraem o axé, a força desses deuses do candomblé. 

(Lucy Guello)

Lá do orum, o plano espiritual na definição do candomblé, os orixás nos protegem e nos guardam. Homenagear esses deuses é uma atitude que traz força e saúde a nós que vivemos no aié, o mundo terreno dos mortais. Por isso, os devotos dos cultos de origem africana não deixam de reverenciá-los: praticam rituais de fé, fazem oferendas e cantam e dançam ao som do atabaque. Paralelamente, buscam outros canais de comunicação com o orum, como jogos e simpatias que conquistam a ajuda dos orixás para seus problemas. Além disso, trabalham metais, madeiras e pedras, preparando objetos que protegem todos os que o guardam ou os carregam consigo, independentemente da sua religião. Esses objetos – os talismãs dos orixás – afastam os males, previnem e curam doenças e nos permitem realizar todos os nossos desejos. 

Grigri, benguê, gambuê e patuá são alguns dos nomes dados a esses símbolos de devoção associados à magia e à fé do povo ioruba, que trouxe para o Brasil as divindades africanas há mais de duzentos anos.

Veja, a seguir, alguns dos principais deuses do candomblé e seus talismãs. 

EXU
Mensageiro, leva aos outros orixás os pedidos dos seres humanos. Alegre, brincalhão e muito acima das nossas noções de bem e de mal, é confundido com o Diabo da tradição cristã. Seus amuletos são o tridente, a serpente de ferro, e as pedras pretas, que nos conferem coragem e criatividade e nos ajudam a encontrar um novo amor. 

IANSÃ
É a rainha dos raios e das tempestades, a dona das almas e da guerra. Ousada, aceita todos os desafios. Sua sensualidade e determinação são verdadeiros imãs para atrair os homens e dominá-los. Seus amuletos são um pequeno raio de cobre, uma pulseira também de cobre, um par de brincos de coral e um colar também de coral, que afastam o medo e trazem amor e alegria. 

IEMANJÁ
Mãe de quase todos os orixás, é a deusa das águas. Por sua generosidade, recebe, sobretudo na passagem do ano, oferenda dos que desejam fartura e paz. Seus amuletos são uma concha, um leque de prata com espelhos ou uma pedra de praia, que nos permitem usufruir dos seus poderes. 

NANÃ
Deusa da chuva e da lama, ela nos traz paz, fecundidade e riqueza. Seus amuletos são a ametista, que acaba com a insônia e acalma a mente, e a vassourinha de palha-da-costa, que traz abundância. 

OGUM
Esse deus guerreiro e conquistador se manifesta nos terreiros dançando envolto numa capa vermelha ou azulão, brandindo uma espada no ar. Seus amuletos são uma pequena espada de prata ou adaga (que traz força e coragem), o rubi, a rubinita ou outra pedra vermelha banhada nas águas de uma cachoeira. 

OBALUAÊ
É o senhor das moléstias de pele, das epidemias e da cura. Seus amuletos são uma pedra preta e branca, um cristal fumê e uma pulseira de palha-da-costa com búzios que pode ser usada no pulso ou no tornozelo. Todos eles previnem e curam doenças. 

OXALÁ
É o maior dos orixás, o criador do homem, dono absoluto da vida, da morte e do renascimento, um pai sábio e sereno que nos dá os melhores conselhos nas horas mais difíceis. Seus amuletos são o cristal de rocha branco, que recebe e amplia energia e é bom contra ansiedade, e um pingente em forma de cajado de prata, que nos transmite a força desse deus. 

OXÓSSI
Senhor das matas e dos espíritos da floresta, é o mais belo dos orixás masculinos. Veste-se de verde ou azul-claro. Seus amuletos são um saquinho de tecido de uma dessas cores com uma semente de fava-de-oxóssi, um enfeite de prata em forma de arco e flecha e pedras como esmeralda e amazonita. 

OXUM 
A mais bela das orixás, deusa das cachoeiras, é vaidosa e dengosa. Gosta muito de se enfeitar e tem sempre nas mãos um leque feito de contas. Símbolo da maternidade e da gravidez, protege as gestantes e seus bebês. Seus amuletos são um leque de prata ou de ouro, um anel de topázio amarelo ou uma pedra encontrada numa cachoeira. Todos eles propiciam beleza e proteção. 

OXUMARÉ
É o deus do movimento e da transformação, representados pelo arco-íris. Passa metade do ano como princesa e metade como príncipe. É elegante e irônico e governa a fortuna. Seus amuletos são um anel em forma de serpente, que protege contra mau-olhado, e um patuá feito com um saquinho de tecido verde ou amarelo com uma pedrinha de quartzo rosa dentro, que traz riqueza. 

XANGÔ
Deus valente e soberano, desconhece a obediência, a submissão e o medo. Sua energia inesgotável faz dele o orixá dos raios e do trovão. De senso de justiça muito acentuado, não tolera a mentira nem a desonestidade. Seus amuletos são o machado de asas de dois gumes, que afasta as injustiças, e a citrina, que ajuda nos negócios.

Não deixe de seguir Claudiney Prieto e Brendan Orin no Instagram!

Categorias
Sociedade

Mensageiros da sorte

Os talismãs atraem a sorte e a felicidade. Conheça aqui os segredos de alguns desses importantes instrumentos de proteção.

O homem sempre sentiu necessidade de se proteger do desconhecido. E uma das formas que encontrou para combater seus medos foi reverenciar e carregar consigo pequenos objetos que ele considerava instrumentos de proteção: os talismãs. Certamente esses objetos têm capacidade de atrair as forças positivas e repelir as negativas, mas você não deve esquecer que a confiança depositada neles é tão importante quanto os objetos. Conheça, a seguir, alguns dos talismãs mais importantes e suas principais características.

Lua Crescente
Símbolo da felicidade no amor, proporciona fertilidade e prosperidade. Os antigos egípcios e gregos já utilizavam esse talismã para afastar os maus espíritos e as crises de melancolia e às vezes até de loucura que a lua nova provocava. 

Ferradura
Na Antiguidade, acreditava-se que os demônios temiam o ferro. Dessa forma, a crença na capacidade da ferradura de afastar maus presságios se deve ao material de que ela é feita, ao seu formato semelhante ao da Lua Crescente e também ao fato de estar associado ao cavalo, um animal muito forte. 

Trevo de Quatro Folhas
Boa parte do encanto do trevo de quatro folhas reside justamente no fato de ser muito difícil encontrá-lo em meio à natureza. Ainda assim, as reproduções dessa planta feitas em madeira ou metal são igualmente poderosas como talismã: usados junto ao corpo, ajudam você a alcançar todos os seus objetivos. 

Figa
Conhecida desde o início da Era Cristã, a imagem da mão fechada com o polegar entre o dedo indicador e o médio é uma velha forma de afastar mau-olhado e proteger as pessoas contra seres demoníacos. 

Pentagrama
A estrela de cinco pontas atrai o bem e afasta o mal. A ponta de cima representa a cabeça do homem, e as outras quatro representam os braços e pernas. Ela está associada ao equilíbrio e simboliza o domínio da razão sobre as paixões. 

Buda
A imagem do profeta Sidarta Gautama, o príncipe indiano fundador do budismo, é normalmente usada como talismã para trazer felicidade. “Coçar” a barriga dele todo dia e deixá-lo em cima de uma caixa cheia de moedas é uma forma de lhe pedir que o ajude a ter mais sorte e ganhar muito dinheiro. 

Cruz Ansada
Considerada o símbolo da vida, essa cruz aparece constantemente nas construções do Egito Antigo. Ela tem uma alça na parte superior e representa Rá, uma das mais importantes divindades egípcias, associada à criação. A tradição de que ela traz poder e conhecimento permanece até os nossos dias.

E você, tem algum talismã da sorte? Não deixe de seguir Claudiney Prieto e Brendan Orin no Instagram!