Categorias
Wicca

Pecados

Qual é a relação dos pagãos com o pecado? A culpa, a cobrança, a forma de se pagar pelos crimes cometidos… Como funciona?

(por Brendan Orin)

Não há perdão para os filhos da Deusa, pois para Ela não há pecados. Tudo é uma questão de valores, e aplicação de devida consciência e responsabilidade. 

Nossa sociedade a cada momento dita como devemos ou deveríamos ser, nos tornando escravos de suas próprias metas capitalistas e desumanas. Certos apontamentos que nos são feitos todos os dias deveriam ser questionados. Os famosos Sete Pecados cristãos são um bom exemplo. 

Não é em todos os casos que o Orgulho é ruim, ou mesmo a Vaidade ou a Inveja. Todos os sentimentos que acometem a vida do homem tem seu lado bom e ruim. Uma pessoa que só nutre sua Caridade, Honestidade e Compaixão, com certeza terá sua consciência limpa, mas seu caminho estará cheio de traições e trapaças. 

O Altruísmo total é uma forma de colocar-se em um pedestal, de dizer que se é melhor do que aqueles que não praticam ou não podem praticar tanta abnegação. A Misericórdia em excesso pode fazer com que sejamos sempre boicotados – não adianta pensarmos que isso eleva nosso espírito, pois bem sabemos que a realidade é outra: sermos injustiçados sempre deixa marcas e causa Mágoas absurdas. Somos animais, e como os animais sentimos selvagens instintos de Vingança e Raiva, que devem ser transformados para que não se tornem em problemas maiores, porém que não devem ser completamente ofuscados, visto que são reações naturais do ser humano enquanto animal. 

Quando nos sentimos rejeitados pelo mundo, ou pior, quando realmente o somos (quando não temos o devido reconhecimento pelo nosso trabalho, quando somos depreciados por aqueles que amamos, entre outras situações que atormentariam a qualquer um), o Orgulho é que faz com que nós mesmos vejamos o quanto somos importantes, e o quanto fazemos pelo mundo. Quando precisamos nos livrar de uma situação em que estamos sendo sugados por pessoas ou situações que não nos dão valor algum, quando trabalhamos para quem não se importa com isso, quando fazemos de todo o nosso orçamento mensal ajuda para outras pessoas e nada nos sobra, é o Egoísmo que nos protege e nos lembra que antes de mais ninguém no mundo, precisamos de nós mesmos. Quando vemos crescimento por todos os lados e almejamos uma nova posição social, um novo bem, um novo amor ou o que seja, é a Ambição que nos rodeia e dá forças. Quando decidimos colocar como meta profissional algo que desejamos e outra pessoa também deseja, é uma faceta boa da Inveja, que poderíamos chamar de competição sadia, que surge em nosso coração – e dessa relação podem surgir grandes histórias de vida, grandes laços de amizade e companheirismo, pois quando vemos nossos rivais como fonte de renovação de idéias e não como inimigos, aprendemos mais do que poderíamos aprender com qualquer cúmplice. Vaidade pode ser a cura para a Depressão. Um pouco de Avareza pode fazer com que tenhamos reservas para resolvermos um sério problema no futuro. 

O que devemos aprender é a dosar, como a carta Temperança do Tarot. Ela nos ensina que tudo o que há deve existir em uma determinada medida. Não haveria dia, se não fosse a noite; não há som sem silêncio. Assim são os sentimentos e valores que regem nossas vidas. Sempre que analisamos uma situação por todos os ângulos, podemos perceber que em determinadas situações ser simplesmente humano, ou seja, ser incompleto em sua essência, é aproveitar todas as situações as quais a vida pode nos expor para nosso próprio aprendizado. 

Viva. Viva e deixe viver, sempre. Há momentos para tudo na vida, não limite seu coração. Se permita. Se permita a chorar a morte de seus pais, se permita ao luto por amigos, se permita a sentir raiva de alguém que lhe traiu, se permita a sentir que determinada situação não foi justa. Aproveite cada momento para degustar cada nuance de seus sentimentos, sejam eles quais forem. O que não podemos é guardar certas emoções pelo simples fato de que a sociedade as recrimina. Isso dá câncer. Podemos agir com consciência, e fazer diferente para aquelas pessoas que nos prejudicaram, para que assim elas aprendam com seus próprios erros; em outras palavras, sem deixarmos de dar o devido valor à dor que nos foi causada podemos deixar de causar mais dor, fazendo com que o mundo seja um lugar mais brando, equilibrado e consciente.   

Há também o outro lado, como aqueles valores que muitos de nós Pagãos julgamos Cristãos, e afirmamos que por isso devem ser negligenciados. Não creio que Bondade, Perdão, Arrependimento sejam valores exclusivos do Cristianismo (se fossem, qual seria o problema? são valores essenciais para a boa convivência do homem com o mundo), e sim que são valores universais. Nossa Lei Máxima, “Faça o que quiser, desde que não prejudique nada ou ninguém.”, não recrimina atos honrados como adoção, acolhimento de desabrigados, doações de alimentos aos famintos – muito pelo contrário, eleva tais atos. Religiões anteriores ao Cristianismo, como o Budismo Tibetano ou algumas ramificações do Hinduísmo, sempre ostentaram a bandeira da PAZ. 

Se vamos aprender um dia a cultivar os sentimentos de modo a aproveitar todo o seu potencial, não posso afirmar, mas posso dizer que permitir-se sentir com o coração exatamente aquilo que vem à tona é necessário. Assim, o Remorso, a Falsidade, a Vergonha, a Auto-comiseração, a Culpa e outros sentimentos que são totalmente nocivos serão extintos, pois não temos o que temer se temos força suficiente para aprendermos a cada dia e para evitarmos os erros do passado, sempre almejando uma melhor atitude no amanhã. Ser melhor a cada dia, sem deixar de ser animal e humano. 

Bênçãos de Aradia,
Brendan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *