Categorias
Personalidades

Quem foi Conde Saint Germain?

Saint Germain é um mestre ascensionado da Grande Fraternidade Branca. Rege o raio violeta, cor associada à transmutação, ao amor universal e à energia da Nova Era. 

Na sua última encarnação, Saint Germain foi um conde italiano, nascido na cidade de San Germano no ano de 1710. Estudioso de magia e de alquimia, ele teria descoberto o elixir da longa vida – e não teria morrido em 1779, como se supõe, mas sim se retirado para outra dimensão, habitada por seres evoluídos e iluminados.  Essa versão justifica suas aparições, 113 anos após sua suposta morte, em cidades como Paris e Frankfurt.

Durante sua vida terrena, Saint Germain realizou prodígios admiráveis: era capaz, por exemplo, de fazer aparecer diamantes, que ele distribuía entre os amigos e as pessoas carentes. Muito inteligente, falava seis idiomas, tocava cerca de dez instrumentos musicais e conhecia profundamente as leis da química, da física e da matemática. 

Mas todos esses múltiplos talentos não foram conquistados numa única vida. Em encarnações anteriores, Saint Germain fora São José (pai de Jesus), o piedoso Santo Albano, o pintor Leonardo da Vinci, o escritor William Shakespeare e o navegador Cristóvão Colombo. E, como conde de Saint Germain, veio apenas completar sua missão de aperfeiçoamento espiritual, até atingir a iluminação e elevar-se à condição de mestre ascensionado.

O que é a Grande Fraternidade Branca?

A Grande Fraternidade Branca é a associação dos seres de luz que governam o universo. É “branca” porque o coração de Deus – ou do princípio criador – emana uma luz branca que se divide em sete raios coloridos: azul, dourado, rosa, pérola, verde, púrpura e violeta. 

Cada um desses raios é governado por um ser de luz – alguém que viveu na Terra e que, depois de enfrentar os obstáculos comuns a todos os seres humanos, alcançou a iluminação espiritual e atingiu outro estágio de evolução ao abandonar a vida terrena, tornando-se um mestre ascensionado. Assim, o raio azul está associado a El Morya, senhor da fé, que foi um santo da Índia e se chamava El Morya Khan; o raio dourado está associado a Lanto, senhor da sabedoria, que foi imperador da China e um grande sábio; o raio rosa está associado a Kuthumi, senhor da compaixão e do amor, que foi São Francisco de Assis; o raio pérola está associado a Serapis Bey, senhor da pureza, que foi o faraó egípcio Amenhotep 3º; o raio verde está associado a Hilarion, senhor da verdade, que foi o apóstolo Paulo; o raio púrpura está associado a Nada, senhora da paz, que foi sacerdotisa do Templo do Amor no extinto continente de Atlântida; e o raio violeta está associado a Saint Germain, senhor da transmutação, que foi São José, Santo Albano, Cristóvão Colombo e um alquimista, o conde de Saint Germain, que viveu na Itália do século 18.

Siga Claudiney Prieto e Brendan Orin no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *